domingo, 8 de junho de 2008

Soneto de Amor Saudoso

O amor que tenho por ti, sobra
Encheria o mundo de tanto
Dos deuses, és a mais linda obra
Se afastada, fico em prantos

Hei de exaltar em teu louvor
A totalidade que me resta
Te ter afeto, aqui causa festa
Sendo em todo tempo amor

Não findas o sentimento nobre
Que em ti descai em devaneio
E em seu contemplar se descobre

Eu, em loucura, tenho receio
Que em seu estimar não mais more
Não mais ninhando em teu seio

(Renan Coelho)

Um comentário:

Luiza disse...

esse amor que você do qual você fala nos seus poemas é tão bonito,puro...
só de ler dá um aperto no peito

gostei..
bjs