domingo, 8 de junho de 2008

Bela, bela, bela.

Oh! Tanta beleza que nela habita
O resplandecer do sol na terra
Um anjo que asas bate e agita
O ponto final que à poesia encerra
Esconde-se ela por trás das revoadas
Com brilho tal que faz inveja em estrela
Almejando-a em sonhos de noites frustradas
Em despir seu véu, espero tê-la

(Renan Coelho)

2 comentários:

Luiza disse...

[retirado do caderno que a luiza não pode ler.]

não diga isso, nada brilha mais que a estrela.hãm.

Amanda Garruth disse...

Bacana! Texto bonito.
Muita inspiração ssempre.
Abs.