quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Poema de Boas Vindas.

Preciosa hora que surge-te aqui
De pensamento tudo era só meu
Opnião única plagueada em mim
Com trejeitos e dons te apareceu

Fecha-te portas e pega tua pena
Desenhas, atuas , escreve poema
Cabelo enleado em cor de Moema
Enchendo folha de agudo; de trema

Abriga-te sob a doce goiabeira
Levando com ela sua semente
Risos, risos, tem-te por inteira
Na brisa que em ti bate e não sente

Entre e vá, calmo por fenestra
Faz-te coisa sorrelfa em limbo
Com vil magia que diz-se sestra
Eu aqui declamo "sejas bem-vindo".


(Boas Vindas!)

3 comentários:

Vargas disse...

Acho que vou chorar
huauhauhahuauhauhaauhauhahu

*Piba disse...

Gente, que legal o poema =D

Mariana disse...

Aiin, poema show ^^