quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008


Entra
Conhece meu mundo
Descobre
Que todo caos, aqui, é bem-vindo
aprende
Que todo sonho perdido
Aqui chora
Que todo coração partido
Aqui mora
ouve
Os gritos de desespero
Da vida que vai-se embora

Entra
Se adentra no meu mundo
Conhece os cantos mais obscuros
Da minha alma
Que eu faço questão de não esquecer
Onde a vingança predomina
Onde o ódio me alucina
E a tristeza nunca termina

entra
Explora o meu mundo
E pobre de ti
Quando finalmente descobrir
Que o inferno é aqui

Pedro Vargas

2 comentários:

Pilar disse...

É, Dedeco...
Começou a tortura diária =P

Álvaro Andrade disse...

Valeu, velho!

Também gostei daqui, gosto desse tipo de poesia.
Leminski é rei, foi um bom lugar de encontro.

Abraço.
Espero que repita a visita.